Ferramentas de Utilizador

Ferramentas de Site


Barra Lateral

Traduções para esta página?:
 



Servidor Debian 9 'Stretch'


Servidor Debian 6.0 Squeeze


pt:squeeze:monitoring:system:munin

Página desactualizada Esta página contém uma versão anterior deste guia que pode estar desatualizada. Para a consultar a versão mais recente clique aqui.

6.2.1 Munin

Objectivo

O pacote munin permite monitorizar diversos parâmetros de um ou vários sistemas, como por exemplo, estado e carga dos serviços, temperaturas, espaço em disco, etc. O munin funciona segundo uma arquitectura cliente-servidor, em que um sistema servidor recolhe e organiza dados recebidos de vários sistemas clientes. Para monitorizar apenas um servidor, deverão ser instalados e configurados os pacotes cliente e servidor no mesmo sistema.

O pacote munin utiliza uma interface web. É necessário, portanto, instalar um servidor http. Para mais informações, consultar instalação do Apache2 e Apache2 SSL, caso queiramos ligações seguras.

Instalação

Cliente

Do lado do cliente, a instalação consiste apenas em instalar o pacote cliente e alguns extras:

root@server:~# aptitude install munin-node munin-plugins-extra

Servidor

Do lado do servidor é necessário a instalação do pacote munin:

root@server:~# aptitude install munin

Configuração

Cliente

A configuração dos sistemas cliente consiste em adicionar o endereço do servidor à lista de endereços que podem estabelecer ligação ao cliente. o endereço deve ser acrescentado no formato expressão regular. No nosso caso, como o cliente e o servidor é o mesmo, basta adicionar o endereço 127.0.0.1. Essa configuração é efectuada no ficheiro /etc/munin/munin-node.conf:

/etc/munin/munin-node.conf
# [..]

# A list of addresses that are allowed to connect.  This must be a
# regular expression, since Net::Server does not understand CIDR-style
# network notation unless the perl module Net::CIDR is installed.  You
# may repeat the allow line as many times as you'd like

allow ^127\.0\.0\.1$

# [..]

O serviço cliente deverá então ser reiniciado:

root@server:~# /etc/init.d/munin-node restart

Servidor

No servidor deverão ser acrescentados à configuração os endereços dos clientes a contactar, o que é feito no ficheiro /etc/munin/munin.conf:

/etc/munin/munin.conf
# [...]
 
# a simple host tree
[server.home.lan]
    address 127.0.0.1
    use_node_name yes

# [...]

Caso existam mais clientes, basta adicionar os respectivos nomes e endereços em blocos semelhantes ao listado.

Deverá também ser definida para uma gama de endereços IP a partir dos quais se pode aceder à interface web do munin: A opção Allow from 192.168.1.0/24 permite o acesso apenas a partir da rede interna. Caso se pretenda aceder a partir de qualquer endereço, basta especificar Allow from All. Esta configuração está guardada no ficheiro /etc/apache2/conf.d/munin:

/etc/apache2/conf.d/munin
Alias /munin /var/cache/munin/www
<Directory /var/cache/munin/www>
        Order allow,deny
        #Allow from localhost 127.0.0.0/8 ::1
        Allow from 192.168.1.0/24
        # Allow from all
        Options None

# [...]

Segurança

Como o munin fornece muita informação acerca das características do sistema, o seu acesso deve ser bastante restrito. O servidor httpd apache2 pode proteger uma directoria, dando acesso apenas a utilizadores devidamente autenticados e autorizados. Como se pretende o máximo de segurança, a autenticação será feita através do método de autenticação “Digest” do apache2, que transmite os dados de forma segura.

A configuração é feita em 2 fases. Em primeiro lugar, deverá ser criado o ficheiro de autorizações para o recurso Munin no servidor apache2, com os utilizadores e respectivas senhas:

root@server:~# htdigest -c /etc/munin/munin-htpasswd Munin fribeiro
Adding password for fribeiro in realm munin.
New password:
Re-type new password:

A opção -c cria o ficheiro de novo. Para acrescentar outro utilizador, esta opção deve ser omitida.

Em segundo lugar, alteramos a configuração do apache2 para exigir um utilizador e palavra-passe válidos para aceder à directoria /munin, o que é feito no ficheiro /etc/apache2/conf.d/munin:

/etc/apache2/conf.d/munin
# [...]

        # This file can be used as a .htaccess file, or a part of your apache
        # config file.
        #
        # For the .htaccess file option to work the munin www directory
        # (/var/cache/munin/www) must have "AllowOverride all" or something
        # close to that set.
        #

        AuthUserFile /etc/munin/munin-htpasswd
        AuthName "Munin"
        AuthType Digest
        require valid-user

# [...]

O módulo de autenticação auth_digest deve estar activo:

root@server:~# a2enmod auth_digest

E reiniciar o servidor apache2:

root@server:~# /etc/init.d/apache2 restart

Verificação

Para verificar o funcionamento do munin, basta abrir um browser e indicar http://192.168.1.100/munin na barra de endereços:

Plug-ins

É possível expandir a funcionalidade do munin, recorrendo aos diversos plugins disponíveis no sítio Internet do projecto, em http://muninexchange.projects.linpro.no. No entanto, a sua configuração sai fora do âmbito deste guia.

Referências

pt/squeeze/monitoring/system/munin.txt · Esta página foi modificada pela última vez em: 2015-04-29 22:10 (Edição externa)